Leituras desse encontro: capítulo 2 sobre “Sentimentos da aprendizagem”  baseados no livro “O desafio de aprender ao longo da vida” de Guy Claxton. A seguir algumas conclusões.

  • A aprendizagem é sustentada por três pilares: a resiliência, a desenvoltura e a reflexibilidade.
  • Emoções básicas que surgem no processo que envolve a aprendizagem:  angústia, medo, aversão, tristeza, ansiedade, excitação etc.
  • A ansiedade é ruim quando mobiliza e boa quando move. Só aprende quem tem um pouco de ansiedade, quem tem motivação pessoal e intrínseca pois a vontade própria tira o aprendiz da zona de conforto.
  • O medo afeta a aprendizagem pois desloca o foco de atenção, impede a percepção de informações importantes e pode ampliar ou dispersar a atenção causando distração por coisas não-importantes. Quando a atenção torna-se superconcentrada em fontes identificadas de ameaça, o indivíduo se dispersa pelo fato de estar o tempo todo examinando o outro.
  • Persistência : a crença na própria competência. Quanto maior a crença das pessoas em suas habilidades, mais opções de carreira são consideradas possíveis e mais motivadas estarão ao se preparar  para atingir os objetivos que escolheram.
  • A resiliência se caracteriza pela capacidade dos indivíduos manterem a crença em si apesar das dificuldades, continuarem a determinar para si objetivos desafiadores, lidarem com os problemas de maneira lógica e eficiente, descobrirem maneiras eficazes de cumprir suas metas.
  • Vivemos numa cultura de que precisamos ter tudo rápido, em busca do produto, do resultado, somos mais imediatistas e consequentemente menos tolerantes. Que bom podermos fazer novas escolhas, reoptar, mas muitas vezes, o fato de desistirmos na primeira dificuldade nos dá menos chance de vermos nas dificuldades uma oportunidade de crescimento.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *