Autor: Claudio Ferraz Oliver

Orientadora: Evelise Maria Labatut Portilho

Resumo : Esta dissertação apresenta um estudo sobre o perfil do educador e da educadora que emerge das obras de Leo Tolstoi (1937, 1988, 2000, 2002, 2005), Ivan Illich (1971, 1973a, 1973b, 1975, 1979a, 1979b, 1980, 1988, 1990, 1995, 1996, 1999, 2000, 2002) e Paulo Freire (1972, 1974, 1975, 1980, 1985, 1987, 1989, 1997a, 1979b, 1979c, 2000, 2001, 2005). A pesquisa tem como objetivo descrever e analisar tal perfil em relação às práticas de formação humana que reproduzem concepções de mundo e relacionamento subordinadas ao modo de produção da sociedade industrial e tecnológica. O trabalho busca elementos que sirvam de subsídios para a problematização e investigação sobre a prática docente e desenvolve-se a partir de uma abordagem histórico-crítica que aponta para as possibilidades e desafios nas relações de aprendizagem, principalmente quando baseadas nos vínculos de amizade e de mútua contribuição, no contexto das relações comunitárias, não restritas ao ambiente escolar, em uma perspectiva libertária da Pedagogia. Além das obras dos autores citados, a reflexão lança mão dos escritos de autores como Celso Furtado (1974), Chet Bowers (2004, 2005), David Cayley (1992), Felix Garcia Moriyón (1989), Francisco Ferrer y Guardia (1960), George Eldon Ladd (1959, 1974, 1993), Gustavo Esteva (1998, 2004), John Elias (1976), Karl Marx (1969, 1975, 1999, 2003), Mauricio T ragtenberg (1987), Michel Foucault (2001, 2005), Mikail Bakunin (1976, 2000, 2001), Patrícia Inman (1999), Pierre Joseph Proudhon (2001), Piotr Kropotkin (1946, 1954), Robert Chappel (1978), Semion Filipovich Yegorov (1988,1994) e Zigmunt Bauman (2003). Além destes, dezenas de outros autores contribuem para desvelar concepções de aprendizagem baseadas nos vínculos, na igualdade, na liberdade e na comunidade, destacando as categorias epistemológicas, presentes nas obras de Tolstoi, Illich e Freire, descritas a partir dos seus significados nas culturas e idiomas que fazem parte da matriz formadora do Ocidente. A análise permite apontar para outros modos de pensar a Educação e outras perspectivas menos técnicas, autoritárias e curriculares e mais políticas, culturais e comunitárias.

Para ler a dissertação na integra, clique no link abaixo:

Amigos no caminho: o educador e a educadora nas obras de Leo Tolstoi, Ivan Illich e Paulo Freire

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *